sábado, 12 de maio de 2007

[ história 001: Qual é o problema dele? ]

Eu estava pensando no escrever aqui no blog depois da introdução ... eis que eu lembrei de uma história que aconteceu comigo a muito tempo atrás, aí eu pensei "ah, essa história não" mas a desgraçada da história não sai de minha cabeça, eu não consigo pensar em outra coisa, pois bem, vai ser essa história mesmo. Tudo aconteceu mais ou menos em 2005 [ a long, long time ago ] nessa época eu dava aula de "noções básicas e iniciação a informática" [ ui! Sempre achei esse nome chique ] para pessoas de 5ª a 8ª series.

- pausa para comentário -
80% dos alunos da escola que eu trabalho são de zona rural [ nada contra . juro! ] entende-se por isso que o povo tiveram, tem e terão pouquíssimo [ ou nenhum ] contato com informática e internet, logo a explicação do sensor de movimento que faz seta do mouse mexer é recebido como a anunciação da volta de Cristo, imaginem só o que sai daí.
- fim pausa para comentário -

pois bem, eu estava dando aula para 5ª serie ou 6ª [a turma tinha a maioria de adolescentes e jovens] enfim, eu não me lembro; depois de explicar todo o conteúdo eu deixei o finalzinho da aula livre para os alunos fazerem o que eles quisessem.

- pausa para explicar alguns detalhes -
1. minha cidade num dia normal faz de 30°c a 37°c [ muito calor ]
2. a quantidade de alunos de cada sala é superior a 30.
3. na sala de informática tem apenas 15 computadores.
4. a sala media mais ou menos 5x7 m².
5. tinha apenas 2 ares-condicionados, dos quais um estava quebrado.
questão: Como nós agüentávamos ficar e sobreviver dentro da sala? [ R: até hoje eu não consigo entender! ]
- fim da pausa para explicar alguns detalhes-

cada aluno procurou um grupo, uns foram ver o próximos capítulos das novelas da globo, outros sites de jogos e outros tentavam abrir sites pornôs [ glup! o.O' ] como não tinham computadores suficientes e nem todos gostavam de internet, sempre juntavam vários alunos ao redor de minha mesa [ eu era considerado moderninho, por isso todo mundo queria saber minha opinião sobre diversas cosias. ui! ] assim nós ficávamos conversando até a aula acabar.

Então nesse dia me perguntaram se eu tinha namorada [ oh! pena ] eu disse que não etc e tal e começamos a falar de namoro, as meninas ficaram super acanhadas os rapazes riam para disfarçar o acanhamento, percebi que um de meus alunos [ vou chamá-lo de Henrique, sabe como é não pode falar o nome verdadeiro se não é processado ] não ria, mas olhava muito para uma das alunos que estavam próximas a mim [ vou chamá-la de Maria ] pensei, pensei, pensei e resolvi bancar o Cupido:

Eu: Maria eu acho que Henrique quer ficar com você
Maria: Larga de ser besta professor, opa! desculpa, quer não.
Amigas de Maria: Ele quer mesmo professor.
Eu: Não tô dizendo, por que você não dá uma chance pra ele moça?
Maria: pára professor, posso não.
Amigas de Maria: eles já conversaram professor, uma vez.
Eu: aí tá vendo e não deu certo por que???
Maria: eitá meninas, vocês não são gente ... não deu certo por nada não.

[Eu tinha que cutucar a onça ... continuei!]

Eu: ué Henrique, por que não deu certo? Ah, não tá fraco no xaveco homem?
Henrique [serio]: foi nada não professor ... só não deu certo.
Eu: ah não gente tem que ter um motivo, você é solteira Maria?
Maria: oxé professor claro que sou.
Eu: você é solteiro Henrique?
Henrique [ainda serio]: Sou professor.
Eu: então gente, o que acontece? Por que vocês não conversam de novo e tentam se entender, você estão perdendo tempo demais. [ essa idéias era revolucionarias demais ]

Henrique levantou da cadeira de repente, uai, pensei na hora que ele fosse me bater, o homem tinha quase 2 metros de altura, mas ele pediu licença para beber água. [ ufa! ] claro que eu deixei o rapaz sair, assim que ele bateu a porta eu olhei bem pra Maria e perguntei: "diz aí Maria a verdade, por que não deu certo? Henrique é até bonitinho."
Maria: eu também acho ele bonitinho professor, mas o problema é que ele não tem 5 DENTES na boca e são os DENTES DA FRENTE

aí meu Deus, perdi as palavras, senti vontade de rir, mas me contive. O que eu poderia dizer diante disso? Não ter dentes era realmente um problema, ainda mais quando os dentes eram os dentes da frente, coitado de Henrique, eu sentia tanta pena dele que nem conseguia falar nada. Dei graças a todos os Deuses que o sinal do fim da aula tocou e Henrique nem precisou voltar mais para sala de informática, os alunos saíram, sozinho eu quase morri de rir.
Henrique sem dentes era algo que eu realmente não imaginava, talvez por isso eu nunca o tinha visto dando uma gargalhada.

3 comentários:

  1. pUtz!!
    isso foi muito cômico.
    Tadinho do menino.
    ãhIAHOhaHA

    :x


    Elizabeth - enviado em 13/3/2007 23:30:00

    ResponderExcluir
  2. "fala a verdade, aquele povo de olho puxado não são as coisa mais lindas do mundo? "

    Ai ai !
    *-*
    Nesses momentos que eu me orgulho d ouvir a frase "abre o olho.Ta dormindo?"


    _ Sobre o post em si ...
    [...hUASHuhUAHSuhUAHsuhUHAS³...]
    Não estou rindo do "Henrique" ... e sim do...do...eh...o blog tah liiindo jah disse ?

    U.Ú

    Paralelepipedo - enviado em 16/3/2007 09:04:00

    ResponderExcluir
  3. [não se identificou]13 de maio de 2007 09:14

    ta mt massa seu blog!!

    q histórias são essas???
    huauhauhauha

    bjoo

    - enviado em 7/5/2007 22:29:00

    ResponderExcluir

agora me conte você…