terça-feira, 31 de julho de 2007

[História 056: A tartaruga ninja gay]

Ainda em Curitiba, a mulher comum resolve me apresentar seus amigos, esses por sua vez resolvem me apresentar à noite curitibana [ui que perigo!]. Como eu era [sou] meio analfabeto se tratando de ruas e lugares da capital do Paraná, marquei com Di na praça Osório, um dos pontos turísticos. Sai de casa mais ou menos 11 horas da noite, caraca estava fazendo 6°c graus de temperatura, a rua parecia aqueles filmes de terror cheio de fumaça no chão e tal. Peguei o coletivo que divinamente chegou junto comigo no ponto – é coletivo mesmo, sou “probrinho” gente, e táxi é caro. Cheguei no centro e fui para praça Osório liguei para Di dizendo onde eu estava e ele me pediu 10 minutos para chegar até lá.

[ dica: Em 10 minutos muita coisa pode acontecer]

Lá estava eu na praça sozinho 23:30 da noite, até que tinha bastante gente passando, fiquei perto de um chafariz esperando. Notei que muito homem passava e ficava olhando para mim, mas dentro de minha inocência nordestina eu pensei que queriam me roubar ou coisa parecida, mesmo porque eu estava com uma blusa listras [tipo aquelas de presidiário] e isso não chamava nem um pingo de atenção. [cof. cof. cof]

Mas como comigo sempre tem que acontecer algo avistei lá de longe uma criatura vindo em minha direção, era baixinho, gordinho e careca, veio caminhando e olhando para mim, [parecia uma tartaruga ninja] de repente ele começou a coçar o saco, mas não era dessas coçadinhas tipo ‘vou-da-uma-ajeitadinha-básica’ era daquelas coçadas ‘vou-mexer-com-meu-pau-pra-endurecer’ ele praticamente tentava arrancar o dito cujo do seu lugar ao mesmo tempoq ue ele olhava para mim meio vesgo, acho que tentando me seduzir pelo olhar matador. Enfim, não estava dando muito certo.

... foi me dando um aflição e nada do Di chegar, comecei a caminhar para disfarçar, mas a tartaruga ninja que estava sentada num banco meio perto de onde eu estava ficava me seguindo e me comendo com os olhos, eu morrendo de agonia. Como eu sempre digo: "Quando uma coisa tende a piorar ele sempre piora" salve Murphy.

A tartaruga ninja levantou-se e veio em minha direção, eu comecei a rodar o chafariz e ele atrás de mim, ficou uma situação tão ridícula que nem eu estava acreditando que aquilo estava acontecendo, enfim, pensei no dinheiro que estava no meu bolso, pensei na minha integridade física, afinal eu sou um calango do nordeste virgem [cof. cof. cof]. porém teve uma determinado momento que eu me distrai e a tartaruga ninja se aproximou.

- Quantas horas por favor? – ele perguntou.
- Não tenho horas – eu disse mostrando meu pulso que até então estava coberto pela blusa de manga cumprida.

Eu disse dei as costas para ele e sai.

- Você é muito lindo sabia ?! – ele disse.

Fiquei gelado, ele era gay?! Uai! Assim não que eu não tenho desconfiado, mas essa de perguntar a hora é tão retrô [anyway] cada um luta com as armas que tem. Eu não disse nada, fica cara de Kátia [não tô entendendo nada] e caminhei para frente, ele foi se aproximando eu encostei perto de uns homens que estava motando umas barracas [acho que teria um festival de alguam coisa lá] ele sentou no banco mais próximo de mim e ficou de lá me olhando, menos de 5 minutos depois Di chegou, nós nos cumprimentamos e tal, quando eu olhei para trás a tartaruga ninja vesga e gay não estava mais lá.

Tinha que ter um assim não feio Deus? Vou te contar ...

11 comentários:

  1. Ai inho!!!

    Essas coisas só acontece com você mesmo.

    Que horror.

    Mais tartaruga ninja gay é foda.

    Estou rindo demais.

    Beijo inho!!

    ResponderExcluir
  2. ai...acho q vc é minha alma gêmea..
    esse tipo de coisa acontece comigo tb...

    ninguém merece né...esse povo feio devia ter semancol
    huauhahua

    bjoooos

    ResponderExcluir
  3. hahahahaahahahaah
    ta parecendo as minha historias...
    sempre acontece alguma coisa.
    muito boa.

    ResponderExcluir
  4. vc num existe mesmo... kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. nossa que tragedia heim..

    mas eu to rindo de você ateh agora

    haiuahiahaiuahaiuah

    ResponderExcluir
  6. oi Jarbas! obrigada pelos comentários nos meus blogs!
    vou te passar o endereço dos 3:

    http://downtoparadise.blogspot.com/
    (blog pessoal)

    http://misscorrea.blog.terra.com.br/

    (profissional)


    http://clarissacorrea.blogspot.com/

    (profissional tb)


    um beijão, obrigada pelo carinho, adorei teu blog.

    ResponderExcluir
  7. POR MUITO QUE CUSTE A MUITA “BOA” GENTE, NÃO VAMOS DEIXÁ-LO ESQUECER.

    Esta semana venho incomodar todos os blogues brasileiros. E por quê? Porque não quero que esta data fique esquecida. Mas que data? Pois é, é mesmo isso! Este ano, de 2007 faz 160 “cento e sessenta anos”, que nasceu um grande vulto da poesia brasileira. Quem foi?
    Faz também este ano, 2007, 136 “cento e trinta e seis anos” a data do seu falecimento.
    Quem foi?

    Eu não devia ajudar nada, mas vou-vos dar um cheirinho: “Espumas Flutuantes”, Salvador da Bahia, 1870.

    Quem souber, pode deixar a resposta no meu último poste.
    Quem não sou, tenha a dignidade de perguntar no mesmo local. Pois aprender não enche barriga nem mata miolo.

    ResponderExcluir
  8. bem bih..
    se voce tb tivesse noçao do que acontece comigo vc naums e sentiria impar no mundo..
    ohahoao
    amo voce!

    xD

    ResponderExcluir
  9. Mas que falta de noção do cara, hein? Apareça sempre! Hehehe

    ResponderExcluir
  10. Bela historia...
    q coisa hein??

    by Liz

    ResponderExcluir
  11. Menus FeiO?
    Te Peço SenhÔ...!
    Caridade. Jamas....!
    Faço a Linha Katia...
    Agora a Madre Tereza De Calcutá.. Nunca Fiz...
    [ Acredito Que Não...}
    i Ate Por Que Nem Combina ComigO..!
    :D~

    ResponderExcluir

agora me conte você…